quarta-feira, 25 de novembro de 2009

ECONOMIA E FINANÇAS

Você já ouviu falar em...Quem é fiel no pouco é fiel no muito? Se você sabe administrar pouco, provavelmente saberá administra muito, mas, se não sabe controlar nenhum pouquinho de dinheiro, quanto mais uma grande soma. Muitos de nós nos tornamos escravos de nos mesmos, pois nos deixamos seduzir pela mídia que nos leva a um consumismo sem controle, levando nossa vida financeira para o caos se junto com ela nossa vida familiar.

Um casal desesperado pergunta ao seu pastor: Como entramos nessa? Não temos mais conversa, não importa qual o assunto, volta e meia estamos discutindo sobre finanças! Mesmo a nossa vida íntima já era. Há esperança para nós pastor?....

Eles estavam a ponto de se separarem , como tantos outros casais ,que foram prisioneiros de guerra dos seus próprios impulsos de ¨pegar agora, pagar depois¨. Sua desordem financeira tornou-se um verdadeiro campo de concentração e estava torturando a vida familiar.


GRAÇAS A DEUS que a resposta é sim! Crise financeira não é novidade para Deus, que há muito tempo traçou para seu povo um plano econômico sábio, equilibrando, e provado pela experiência de muitos. O verdadeiro ¨Plano Real¨, encontra-se no livro de sabedoria, PROVÉRBIOS.






UMA ESTRATÉGIA DUPLA

Conforme Provérbios, para obtermos liberdade financeira, teremos de declarar guerra contra forças hostil que atacam o lar. Em primeiro lugar, teremos que erguer um defesa ¨anti -aérea¨contra o bombardeio de propaganda anti-bíblica da mídia. Ao mesmo tempo, e mais importante ainda, teremos que desarmar a nossa própria cobiça auto-destrutiva.




A MÍDIA

O primeiro ataque contra o lar vem da mídia. Só quem não anda no mundo ¨real¨ consegue escapar ao efeito dos mísseis lançados pela propaganda comercial;




¨Leve agora, pague depois¨!


¨Você merece o melhor¨!


¨Cinco suaves prestações¨!


¨Satisfação garantido ou seu dinheiro de volta¨!




Estas lanças já feriram inúmeros lares. Outros foram destruídos pela dívida. E aqueles que não são feridos nem mortos, acabam sendo levados como prisioneiros de guerra, verdadeiros escravos da sua indisciplina financeira.


Próverbios 22.7 diz, ¨O rico domina sobre o pobre, e o que toma emprestado é servo do que empresta¨


Como nos defender desses mísseis materialistas da mídia? Eis algumas sugestões prática:
  1. Avaliar criticamente como família a propaganda e outros comerciais que encontram ¨na praça¨. Fazer algumas perguntas chaves: É verdade? Realmente precisamos desse objeto? É o melhor produto no mercado? Estamos sendo enganados?

  2. Concordar em não fazer nenhuma compra acima do valor estipulado, resultado pelo menos de uma semana de reflexão, conversa, e oração juntos.

  3. Decidir não fazer nenhuma compra sem primeiro, comparar o mesmo produto em pelo menos dois lugares.

  4. Procurar produtos comuns que muitas vezes custam a metade da marca ou grife conhecida


  5. Evitar qualquer forma de dívida .



A COBIÇA

Não fosse a natureza humana, cobiçosa e materialista, não haveria nenhum problema com o bombardeio comercial da mídia, talvez nem existissem propagandas!


O problema principal não esta com a mídia. Como um grande estrategista militar declarou, ¨descobrimos o inimigo, e ele somos nós¨!


A natureza do homem leva-o a desejar cada vez mais coisa, e mesmo conseguindo o que quer, ele continua sendo um eterno insatisfeito.


Encontramos em Próverbios 27.20: O inferno e o abismo nunca se fartam, e os olhos do homem nunca se satisfazem

Próverbios 28.22: Aquele que tem olhos invejosos corre atrás das riquezas, mas não sabe que há de vir sobre ele a penúria.


A família cristã terá de erguer uma defesa quase que impenetrável para não ser atingida por esses apelos à sua natureza materialista.



Algumas sugestões práticas que constituem um ¨pacto pela defesa financeira familiar¨


  1. Estabelecer um orçamento familiar que identifique as saídas mensais, e permita compras especiais, ocasionais e planejadas (Pv. 21.5). Sugerimos que a família analise todos os seus gastos durante 3 meses, para descobrir os ¨furos no saco¨do orçamento familiar.

  2. Evitar toda e qualquer forma de dívida (Pv. 22.7). Isso inclui o uso de cartões de crédito.
  3. Decidir como família viver com aquilo que DEUS já providenciou, não o que espera ganhar. (As vezes é difícil discernir entre fé e presunção; basta dizer que a fé crê que DEUS é capaz de satisfazer a família com aquilo que tem, não com o que deseja adquirir).
  4. Evitar pagamentos parcelados, em prestações, com ou sem juros. Mesmo as prestações sem juros têm seu preço. provavelmente você conseguirá o mesmo produto mais barato em outro lugar pagando ¨à vista¨. Quem paga é o consumidor
  5. Cultivar uma boa atmosfera no lar de gratidão e contentamento pelo que tem, através do culto doméstico. Pedir que cada membro da família preencha o espaço....¨Senhor muito obrigado por ter nos dado.......................................¨

    Promover cultos de consagração quando DEUS supre uma necessidade ou permite uma compra especial. Desenvolver alvos missionários como família, visando ou dar às pessoas mais carentes, e visitar estas pessoas (Pv. 3.9-10...11.24-26....19.17) Uma dose sádia da realidade em que muitos vivem fará muito para diluir a sua cobiça.

    Além disso, precisamos pedir perdão aos nossos credores, e acima de tudo, mudar nossos hábitos de consumo.


O MAIS IMPORTANTE......


¨BUSCAI PRIMEIRO O REINO DE DEUS E AS DEMAIS COISAS VOS SERÃO ACRESCENTADAS¨




Nenhum comentário:

Postar um comentário

comente algo se quiser....

Postar um comentário

MENSAGENS QUE EDIFICAM